topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 07 - Edição 50 - Dezembro de 2013
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  ARTIGO logo Embrapa
  imagem da notícia  
A virose mosaico no milho e no sorgo

No Brasil, o mosaico-comum é uma virose importante nas culturas do milho e do sorgo, e causa perdas na produção das plantas afetadas. O aumento da área plantada com milho nos últimos anos, associado ao cultivo na safrinha (plantio de janeiro a março), tem ampliado a permanência da cultura do milho em campo, contribuindo para o aumento na incidência dessa virose. Outro fator importante que contribui para o aumento da incidência do mosaico-comum no milho e no sorgo é que o vírus Sugarcane mosaic virus (SCMV), agente causal da doença, infecta também outras gramíneas cultivadas e plantas daninhas. O SCMV pertence a um grupo de vírus denominado "potyvirus", especificamente ao gênero Potyvirus.

Seis espécies de potyvirus têm sido identificadas no mundo, causando sintomas de mosaico em várias espécies de gramíneas, incluindo: Sugarcane mosaic virus (SCMV), Sorghum mosaic virus (SrMV), Maize dwarf mosaic virus (MDMV), Johnsongrass mosaic virus (JGMV), Zea mosaic virus (ZeMV) e Pennisetum mosaic virus (PenMV). No Brasil, nossos estudos têm indicado que, tanto em milho como em sorgo, o agente causal do mosaico-comum é uma variante da espécie Sugarcane mosaic virus (SCMV), provavelmente uma nova estirpe desse vírus. Os sintomas do mosaico podem ser facilmente identificados em plantas de milho jovens e tendem a desaparecer quando as plantas atingem a maturidade. Nas folhas, formam-se áreas cloróticas entremeadas com áreas verdes, em padrão de mosaico. Em sorgo, o SCMV pode provocar o aparecimento de dois sintomas, o mosaico típico e o sintoma necrótico, dependendo da cultivar. Os potyvirus são transmitidos de maneira não persistente por vários afídeos e o vetor mais eficiente na cultura do milho é o Rhopalosiphum maidis. Os pulgões são polífagos e, geralmente, realizam picadas de prova em diferentes espécies vegetais. Ao se alimentarem de uma planta infectada, adquirem o vírus e, durante várias horas ou dias, podem transmiti-lo para plantas sadias, de forma não persistente, ou semipersistente. O monitoramento dessa virose por meio do controle dos pulgões com uso de inseticidas não é efetivo, sendo o método mais eficiente a utilização de cultivares resistentes.

Autoras:

Isabel Regina Prazeres de Souza, Engenheira Agrônoma, PhD. em Plant Science, Pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo

Elizabeth de Oliveira Sabato, Bióloga, Ph.D. em Fitopatologia, Pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo

Publicações recentes produzidas pela Embrapa Milho e Sorgo sobre o tema podem ser acessadas nos endereços abaixo:

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/949915/1/Sequencediversity.pdf

http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/951986/1/bol591.pdf

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/89930/1/bol-66.pdf

 

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Guilherme Viana

Jornalistas responsáveis: Clenio Araujo (MG 6279 JP), Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP) e Marina Torres (MG 08577 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Agropecuária Oeste e Tatiane Barbosa

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa