topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 08 - Edição 56 - Setembro e Outubro de 2014
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  ARTIGO logo Embrapa
  imagem da notícia  
Sobrevivência e crescimento inicial de espécies arbóreo-arbustivas nativas brasileiras para recuperação de paisagem degradada no Cerrado mineiro

No Estado de Minas Gerais existem cerca de 1,2 milhões de hectares de pastagens degradadas. A recuperação da paisagem, com a recomposição da flora, habitats e nichos para a fauna, proteção e revitalização do solo e dos recursos hídricos, é uma maneira de reverter esse processo de degradação, contribuindo para conservação ambiental.

Com o objetivo de avaliar o potencial de recuperação de um ambiente degradado na paisagem rural no Cerrado da região central de MG, foram plantadas espécies arbóreo-arbustivas nativas brasileiras de valor madeireiro, frutíferas e nativas do Cerrado, combinando adubos foliares, gel absorvente de água, comparados à adubação tradicional. Foram monitorados o desenvolvimento inicial, a sobrevivência das mudas e o ataque de pragas no período de quatro anos.

As espécies que mais se adaptaram foram Genipa americana (jenipapo), Eugenia uniflora (pitanga), Bixa orelana (urucum), Terminalia argentea (capitão-do-campo), Moringa oleifera (moringa), Guazuma ulmifolia (mutamba), Cedrela fissilis (cedro), Dimorphandra mollis (faveira-wilson), Handroanthus chrysanthus (ipê-mulato), Handroanthus chrysanthus (caju), Samanea tubulosa (sete- cascas) e Prunus sp. (ameixa).

Após dois anos do plantio, não ocorreram grandes diferenças entre as variáveis nos manejos adotados. As avaliações de mortalidade e incremento em altura não indicaram que os manejos influenciaram a taxa de sobrevivência e o desenvolvimento das mudas. O plantio apresentou, de modo geral, um elevado índice de perdas advindas de estresse hídrico, pragas e doenças.

Para ler o trabalho na íntegra, clique aqui.

Autores:

Thomaz Correa e Castro da Costa
Engenheiro Florestal, Doutor, Pesquisador em Geoprocessamento da Embrapa Milho e Sorgo

Mônica Matoso Campanha
Engenheira Agrônoma, Doutora, Pesquisadora em Fitotecnia da Embrapa Milho e Sorgo

Walter José Rodrigues Matrangolo
Engenheiro Agrônomo, Doutor, Pesquisador em Agroecologia da Embrapa Milho e Sorgo

Gabriel Avelar Miranda
Engenheiro Ambiental e Sanitarista, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Sete Lagoas, MG

Érika Regina de Oliveira Carvalho
Engenheira Agrônoma, Extensionista da Emater/Sete Lagoas, MG

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Marina Torres

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa