topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 11 - Edição 89 - Setembro de 2017
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  ARTIGO logo Embrapa
  imagem da notícia  
Indicadores de demanda de macro e micronutrientes por híbridos modernos de milho

Adubações com fornecimento de nutrientes bem ajustado à demanda das culturas são importantes quando se objetiva conciliar produtividade, uso eficiente de fertilizantes, lucratividade e redução de riscos ao ambiente. Estes fatores resultam em maior competitividade no segmento de produção de grãos. A exigência nutricional da cultura do milho é determinada pela quantidade de nutrientes extraídos durante o seu ciclo e, mesmo em solos de boa fertilidade, as adubações devem, ao menos, repor o que for exportado com a colheita dos grãos. Desse modo, o conhecimento dos padrões de extração e exportação de nutrientes precisa fazer parte do plano de manejo das áreas de cultivo. A associação destes padrões com os dados de análise de solo e de expectativa de produtividade permite dimensionar, com mais critério, as quantidades de fertilizantes a serem aplicadas para manutenção da fertilidade do solo.

As quantidades de nutrientes absorvidas não são constantes, podendo variar de acordo com a cultivar, com as condições climáticas, com o tipo de manejo e tecnologia empregados, e com o nível de fertilidade do solo (BÜLL, 1993; RESENDE et al., 2012). Os padrões gerais de exigências nutricionais do milho, disponíveis para consulta no Brasil, foram estabelecidos a partir de pesquisas conduzidas há mais de duas décadas (ANDRADE et al., 1975; VASCONCELLOS et al., 1983; COELHO; FRANÇA, 1995), em sistema de preparo convencional do solo e com cultivares antigas que não estão mais no mercado. Tais padrões constituem a base de várias tabelas oficiais de recomendação de adubação (CANTARELLA et al., 1996; ALVES et al.,1999; SOUSA; LOBATO, 2004). Todavia, sabe-se que os requerimentos por nutrientes aumentam à medida que níveis crescentes de produtividade são alcançados (VON PINHO et al., 2009; BENDER et al., 2013), o que reforça a necessidade de se atualizarem os indicadores de demanda nutricional da cultura, sobretudo para condições de lavouras de alto desempenho.

É de se esperar, portanto, que ao longo do tempo ocorram mudanças nas quantidades de nutrientes exigidas pelas cultivares de milho (BENDER et al., 2013). Com os avanços no melhoramento genético, incluindo a transgenia, e em outras especialidades relacionadas ao desenvolvimento tecnológico na agricultura, o cultivo de milho em sistemas mais intensivos já atinge produtividades de grãos e massa seca muito superiores às obtidas décadas atrás. Nesse contexto, a presente publicação apresenta indicadores de extração e exportação de macro e micronutrientes por híbridos modernos, em cultivos sob plantio direto, com médio a alto investimento em adubação.

Para ler o artigo completo, clique aqui.

Autores:

Álvaro Vilela de Resende
Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo

Carine Gregório Machado Silva
Engenheira agrônoma

Aarón Martinez Gutiérrez 
Engenheiro agrônomo

Eduardo de Paula Simão
Engenheiro agrônomo

Lauro José Moreira Guimarães
Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo

Silvino Guimarães Moreira
Engenheiro agrônomo e professor da UFSJ (Universidade Federal de São João del-Rei)

Emerson Borghi
Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Aurélio Martins Favarin

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: Arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo.

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Derli Prudente Santana (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Administração)

 
logo da Embrapa