topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 11 - Edição 91 - Novembro de 2017
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  ARTIGO logo Embrapa
  imagem da notícia  
Épocas de semeadura de milho em plantios de sequeiro e irrigado em Minas Gerais

A demanda por milho tem crescido mundialmente ao longo dos últimos anos, fazendo com que produtores tenham que adequar o manejo a fim de aumentar as produtividades de suas lavouras. Todas as culturas estão expostas às inerentes variabilidades anuais e interanuais dos elementos climáticos, como precipitação, temperatura e radiação solar, fatores que afetam fortemente os rendimentos. Uma estratégia de mitigar o risco dos efeitos climáticos, que não implica gastos ao produtor, é a utilização de janelas de semeadura adequadas. Através do modelo de simulação da cultura, CSM-CERES-Maize, do pacote DSSAT, simularam-se semeaduras semanais, sob condições irrigadas e de sequeiro, para diversos municípios de Minas Gerais. Com os dados médios semanais de produtividade simulada definiram-se janelas de semeadura em que as chances de quebra de rendimento são menores. As janelas de semeaduras, obtidas com o uso de modelos de simulação são, em geral, mais restritivas que as estabelecidas pelo Zoneamento de Risco Climático do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), pois, o modelo utiliza diversas equações matemáticas de modo a reproduzir as várias interações do sistema solo-planta-atmosfera, e não apenas o balanço hídrico do solo. As janelas de semeaduras obtidas para condições de sequeiro diferiram daquelas sob manejo irrigado. No cultivo de sequeiro, a água é o principal fator limitante, fazendo com que as janelas de semeadura adequadas sigam a distribuição pluvial. No regime irrigado, os fatores que definem o período de semeadura são a temperatura do ar e a radiação solar.

Para ler o trabalho completo, clique aqui.

Autores:

Christoph Hermann Passos Tigges
Graduando em Engenharia Agronômica, Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Sete Lagoas-MG

Camilo de Lelis Teixeira de Andrade
Pesquisador, PhD Eng. de Irrigação/Modelagem, Embrapa Milho e Sorgo, Sete Lagoas-MG

Bruno Ferreira de Melo
Graduando Engenharia Ambiental, UNIFEMM,Sete Lagoas-MG

Tales Antônio Amaral
Biólogo, Dr. em Agronomia, Bolsista de Desenvolvimento
Tecnológico Industrial A do CNPq

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Aurélio Martins Favarin

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: Dagma Silva, arquivo Emater-MG (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais) e NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo.

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Derli Prudente Santana (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Administração)

 
logo da Embrapa