topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 07 - Edição 43 - Fevereiro e Março de 2013
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Sorgo biomassa: cultura promissora para geração de energia

A demanda por energia tem levado à busca por fontes alternativas e uma opção que se mostra cada vez mais importante é o uso de biomassa. Diferentes materiais orgânicos têm sido utilizados para produzir energia.

Nesse cenário, plantas que atingem 5,5 metros em apenas seis meses são uma alternativa promissora. Trata-se de um tipo de sorgo, com rápido crescimento e alto potencial produtivo. O chamado sorgo biomassa tem sido pesquisado pela Embrapa e apresenta qualidade para gerar energia, com poder calorífico similar ao da cana, do eucalipto e do capim elefante.

O material pode ser utilizado em usinas termoelétricas, como também em indústrias que têm caldeiras e geram energia para consumo próprio. O pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) André May explica que o material se mostra mais econômico por produzir muita massa num curto intervalo de tempo. Chega a produzir 150 toneladas de matéria fresca por hectare e até 50 toneladas de matéria seca por hectare. Além disso, o sorgo biomassa é vigoroso, resistente a pragas, a doenças e tem boa tolerância ao acamamento.

Rafael Parrella, também pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, destaca que a cultura é totalmente mecanizável. "Plantio, manejo e colheita são feitos com uso de máquinas. Diferentemente da cana e do capim elefante, que têm plantio com estacas, o sorgo biomassa é propagado por sementes, o que facilita a implantação das áreas."

Rafael é melhorista e tem desenvolvido cultivares de sorgo biomassa. "Estamos avaliando híbridos experimentais em vários locais, onde há demanda por matéria-prima para cogeração de energia. Avaliamos produtividade e adaptação a diferentes ambientes no Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país", explica.

André May pesquisa o sistema de produção da cultura. Ele afirma que o sorgo biomassa permite ao produtor ter "estoque no campo". Ao final do ciclo de crescimento, caso não seja feita a colheita, o sorgo permanece com suas características. A planta não seca nem se perde. Além disso, é possível colher e fazer fardos para uso posterior.

O sorgo biomassa rebrota. "Tem potencial para mais de dois cortes. Só depende da distribuição de chuvas ao longo do ano. Em lugares como o Sudoeste Goiano, podem ser aproveitadas as rebrotas", explica André.

Um fator problemático para todas as matérias-primas usadas na geração de energia a partir de biomassa é a umidade. "Na hora da queima, se a umidade do material for alta, haverá gasto energético para fazer a evaporação e perda de eficiência na geração de energia", explica Rafael Parrella. Por isso, têm sido conduzidos estudos para reduzir a umidade do sorgo biomassa. "Estamos com trabalhos de colheita e pós-colheita para diminuir a umidade do material, que é, em média, de 50%", comenta o pesquisador.

A partir da avaliação dos híbridos desenvolvidos pela Embrapa, serão lançadas cultivares de sorgo biomassa. "Desde 2009, estamos selecionando os melhores híbridos para registro e lançamento. Deve haver sementes disponíveis no mercado para a safra 2014/2015", explica Rafael.

Parceria

A Embrapa Milho e Sorgo e a Energias Renováveis do Brasil (ERB) têm integrado esforços em trabalhos de avaliação agroindustrial de sorgo para geração de energia. O contrato da parceria técnica foi firmado em abril de 2012 com o objetivo de avaliar materiais para produção de bioeletricidade e desenvolvimento de sistema de produção de biomassa.

Potencial

A fim de avaliar a qualidade de materiais para gerar energia é medido o poder calorífico, ou seja, a quantidade de energia por unidade de massa liberada na queima de um determinado combustível. Existem duas medidas: poder calorífico superior (pcs) e poder calorífico inferior (pci). Confira, a seguir, o potencial de três culturas.

Material PCS (Kcal/Kg) PCI (Kcal/Kg)
Capim Elefante 4059,60 3377,04
Cana Energia 4393,92 4059,60
Sorgo Biomassa 4298,40 3987,96

 

Texto: Marina Torres (MG 08577 JP)
Jornalista / Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)
www.cnpms.embrapa.br
Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Tel.: (31) 3027-1272
E-mail: marina.torres@embrapa.br

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
alberto Bezerra Silva | 13/03/2013 - 12:17
Boa tarde,

Gostaria de saber se esse tipo de sorgo tb serna na alimentação de animais? caso sim, gostaria se possivel de consegir ao menos um pouco ja que se consegue tanta massa.

Grato,
Rafael Parrella | 18/03/2013 - 09:55
O sorgo biomassa destina-se a produção de fibra (volumoso) de alta digestibilidade, que pode ser fornecido ao gado. Contudo, este sorgo possui baixa qualidade nutricional (em termos proteicos), devido à baixa produtividade de grãos em detrimento à grande quantidade de massa produzida. Portanto, para alimentação animal recomendamos as cultivares de sorgo forrageiro (silageiro) tipo o BRS 610 e BRS 655, que possuem suas sementes disponíveis no mercado. De qualquer forma, o sorgo biomassa ainda não possui sementes disponíveis no mercado, por ser um produto novo e estar em desenvolvimento.
Att.
Rafael
lazaro eduardo faraoni | 30/03/2013 - 18:04
sou estudante de tecnologia en agronegócio e gostaria de receber informações como essas e se possivel boletins.
com certesa vão me ser muito uteis.
Marina Torres | 01/04/2013 - 14:34
olá, Eduardo, seu email foi cadastrado em nossa lista de contatos e você receberá os boletins da Embrapa Milho e Sorgo. Agradecemos pelo interesse.
Alfredo Rodolfo Vieira Coelho | 13/11/2013 - 15:59
Parabéns aos pesquisadores por lançar mais uma alternativa.
Carlos Alberto Tomaso | 26/01/2014 - 12:20
Bom dia!
Brilhante reportagem sobre Sorgo destinado a Biomassa.

Gostaria de mais informações a respeito. Há alguma Circular Técnica?

Agradeço!

Carlos
Marina Torres | 27/01/2014 - 09:33
Olá, Carlos Alberto!
agradecemos seu comentário e interesse. Há algumas publicações sobre o assunto sim.
Veja, por favor, nos links
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/964766
http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/938277
att.
Marina Torres
carlos Roberio Gomes | 04/04/2017 - 13:49
Vocês estão de parabéns, pela cultivar desenvolvida. É muito notavél o trabalho de vocês.
É muito dificil um pouco de semente pra plantar. Gostaria de ver o desenvolvimento.
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Clenio Araujo

Jornalistas responsáveis: Clenio Araujo (MG 6279 JP), Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP) e Marina Torres (MG 08577 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: Arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa