topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 08 - Edição 51 - Janeiro de 2014
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Caravana Embrapa aponta MIP como melhor alternativa para combate à Helicoverpa

Os agricultores devem voltar a fazer o manejo integrado de pragas (MIP) para combater a lagarta Helicoverpa armigera e outras pragas. Esta foi a principal mensagem passada pelos pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e de instituições parceiras durante a passagem da Caravana Embrapa de Alerta às Ameaças Fitossanitárias por Mato Grosso.

A Caravana promoveu palestras e debates nas regiões Médio-Norte, Oeste e Sul do estado em eventos que contaram com a participação de cerca de 250 consultores técnicos e também de alguns produtores. O roteiro teve início em Lucas do Rio Verde, passou por Sapezal e foi finalizado em Campo Verde.

Em todos os municípios, a equipe da Caravana fez um contexto histórico da chegada da Helicoverpa armigera no Brasil, da identificação da espécie, o que ocorreu há menos de um ano, e das pesquisas científicas que já estão sendo realizadas.

Na sequência, foi apresentada a principal forma de controle desta praga: o manejo integrado. Por meio de um apanhado geral desta prática, mostrou-se que estratégias como o controle químico, biológico e cultural devem ser utilizadas de maneira integrada, como forma de se obter um controle mais equilibrado e sustentável.

"Precisamos empregar as técnicas do manejo integrado de pragas. Começando pelo monitoramento, que é o básico. Só decidir controlar, independentemente da estratégia, respeitando o nível de controle das pragas", orienta o pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril Rafael Major Pitta.

De acordo com o coordenador da Caravana Embrapa, Paulo Roberto Galerani, o MIP já é conhecido pelos produtores desde a década de 1980, quando foi largamente difundido e adotado. Porém, deixou de ser aplicado de maneira correta.

"Com o tempo, o conceito de manejo integrado foi ficando um pouco esquecido, porque os produtores fixaram-se muito em uma tática do manejo apenas, que é a aplicação de produto químico. O tempo mostrou que esta tática sozinha não é sustentável nem tecnicamente, nem ambientalmente e nem mesmo economicamente. Com o aparecimento desta praga, que deu uma mexida naquilo que o agricultor tem desenvolvido para o controle das suas pragas nas lavouras, ele percebeu que só esta prática não é possível", afirma Galerani.

Além de reforçar os conceitos e estratégias do manejo integrado de pragas, a Caravana levou aos participantes informações sobre a importância do monitoramento também no momento da aplicação dos defensivos. Itens como tamanho de gotas, tipos de bicos, horários de aplicação, regulagem de implementos, entre outras tecnologias de aplicação, foram abordados.

Caravana
A Caravana Embrapa de Alerta às Ameaças Fitossanitárias começou a percorrer as principais regiões produtoras de grãos do país em dezembro. A Caravana seguirá ainda para os polos agrícolas do Mato Grosso do Sul, da Bahia, de Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Tocantins, São Paulo, Amapá, Roraima e Pará.

O roteiro completo,os materiais informativos sobre o manejo da Helicoverpa armigera e as apresentações feitas pelos pesquisadores podem ser acessados no site www.embrapa.br/caravana.

A Caravana é uma iniciativa da Embrapa e conta com apoio da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Texto: Gabriel Faria (MTB 15624/MG JP)
Jornalista / Embrapa Agrossilvipastoril
http://cpamt.sede.embrapa.br/

Contato: gabriel.faria@embrapa.br

 

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Guilherme Viana

Jornalistas responsáveis: Clenio Araujo (MG 6279 JP), Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP) e Marina Torres (MG 08577 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo, Fabiano Bastos, Gabriel Faria, Luciano Viana Cota e Miguel Marques Gontijo Neto

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa