topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 08 - Edição 57 - Dezembro de 2014
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Embrapa disponibiliza primeiro híbrido de sorgo biomassa

Uma planta que atinge até seis metros em apenas 180 dias é uma alternativa interessante para uma das grandes demandas da atualidade, a geração de energia. Trata-se de um tipo de sorgo que apresenta rápido crescimento e alto potencial produtivo. O chamado sorgo biomassa tem sido pesquisado pela Embrapa e apresenta qualidade para gerar energia com poder calorífico similar ao da cana, do eucalipto e do capim-elefante.

O material pode ser utilizado em usinas termelétricas, como também em indústrias que utilizam caldeiras e geram energia para consumo próprio. O pesquisador André May, da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG), explica que esse material se mostra mais econômico por fornecer muita massa num curto intervalo de tempo. Chega a produzir 150 toneladas de matéria fresca por hectare. Além disso, o sorgo biomassa é vigoroso, resistente a pragas e a doenças.

Rafael Parrella, também pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, destaca que a cultura é totalmente mecanizável. "Plantio, manejo cultural e colheita são feitos com uso de máquinas. Diferentemente da cana e do capim-elefante, que têm plantio com estacas, o sorgo biomassa é propagado por sementes, o que facilita a implantação das áreas."

Rafael é melhorista e tem avaliado cultivares de sorgo biomassa. "Avaliamos híbridos experimentais em vários locais, onde há demanda por matéria-prima para cogeração de energia. Analisamos produtividade e adaptação a diferentes ambientes no Centro-Oeste, Sudeste e Sul do País", explica.

Nova cultivar

A partir das pesquisas realizadas, foi gerado o primeiro híbrido de sorgo biomassa desenvolvido pela Embrapa: o BRS 716. O material já está registrado no Ministério da Agricultura para comercialização.  "Desenvolvido para cogeração de energia por meio da queima de biomassa, o híbrido apresenta alta produtividade, em média, de 120 a 150 toneladas de matéria fresca por hectare. Tem ciclo curto, de seis meses, e porte entre cinco e seis metros de altura", conta Rafael, ressaltando que o material possui boa sanidade, resistência ao acamamento e adaptação ampla a diferentes regiões do Brasil.

O pesquisador explica que o BRS 716 tem biomassa com alto teor de fibra (de 22 a 28%) e baixo teor de umidade (em torno de 50%). "É essa a média de umidade que interessa a muitas usinas termelétricas, pois as caldeiras foram projetadas para fazer a queima com esse percentual, que é similar ao de outras fontes de biomassa, como o bagaço de cana", comenta Rafael.

A Embrapa Produtos e Mercado dispõe de sementes do novo híbrido para comercialização. O analista Marcelo Dressler explica que o público-alvo do negócio são empresas interessadas em realizar testes de produção e análises de desempenho do material na geração de energia elétrica.

Sistema de produção

Uma das principais vantagens do sorgo biomassa em relação a outras plantas usadas na geração de energia é seu rápido crescimento. "Com esse sorgo pode-se ter produção anual, enquanto outras plantas, como o eucalipto, demoram cerca de cinco anos", explica Rafael. Segundo o pesquisador, o eucalipto produz cerca de 100 toneladas de matéria seca por hectare em cinco anos. Já o sorgo biomassa produz cerca de 40 toneladas por hectare, porém, em apenas seis meses.

Temperaturas mais elevadas e dias mais longos são mais favoráveis para o crescimento do sorgo biomassa. Por isso, a recomendação é de que o plantio seja feito de outubro a novembro.  A colheita ocorre de março a abril. Dessa forma, a planta complementa a oferta de matéria-prima no período de entressafra da cana-de-açúcar, quando não há mais bagaço de cana para queima e geração de energia nas usinas.

Pesquisas conduzidas pela Embrapa atualmente avaliam alguns ajustes no sistema de produção do sorgo biomassa. "Estamos analisando ajustes de espaçamento, densidade e fertilidade de solo para potencializar a produtividade da cultura", explica Rafael Parrella. Também estão sendo avaliadas melhorias na colheita e no processamento do material. Além disso, têm sido realizados estudos para reduzir a umidade do sorgo biomassa, a fim de permitir colheitas mais precoces.

Saiba mais

A demanda crescente por energia tem levado à busca por fontes alternativas. Dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) mostram o aumento do total de energia demandada no país, que atingiu 296,2 milhões de toneladas equivalentes de petróleo (MTep) em 2013, acréscimo de 4,5% em relação ao ano anterior. Ao mesmo tempo, por causa da escassez de chuvas, houve redução da oferta de energia proveniente das hidrelétricas.

Nesse cenário, a biomassa vem sendo bastante utilizada na geração de eletricidade, principalmente em sistemas de cogeração (produção combinada de calor e eletricidade).

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, "pode ser considerado biomassa todo recurso renovável que provém de matéria orgânica e tem por objetivo principal a produção de energia".

Serviço

Interessados em adquirir sementes do híbrido de sorgo biomassa BRS 716 devem entrar em contato com o Escritório de Negócios de Sete Lagoas da Embrapa Produtos e Mercado. Telefones: (31) 3027-1309(31) 3027-1309 e 3027-1310. E-mail: spm.eset.vendas@embrapa.br

Texto: Marina Torres (MTb 08577/MG)
Embrapa Milho e Sorgo
milho-e-sorgo.imprensa@embrapa.br
Telefone: (31) 3027-1272(31) 3027-1272

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Marina Torres

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa