topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 09 - Edição 67 - Novembro de 2015
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Minas Gerais recebe mais uma edição da Caravana Embrapa

A segunda edição da Caravana Embrapa, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, realizou mais duas etapas em Minas Gerais, nas cidades de Uberaba e em Passos, para capacitar técnicos, extensionistas, produtores rurais, professores e estudantes. Nesta fase, a Caravana Embrapa percorre nove polos de produção de grãos e fibras do País, para incentivar boas práticas de Manejo Integrado de Pragas (MIP).

O coordenador da Caravana Embrapa em Minas Gerais, Derli Prudente Santana, ressaltou que o foco principal foi capacitar técnicos multiplicadores que atuam no campo e têm que tomar decisões sobre o manejo de insetos-praga em culturas de milho, soja, feijão, algodão e pastagens.

De acordo com Derli, para Uberaba, os técnicos extensionistas solicitaram incluir o tema manejo integrado de pragas em pastagens. Ele ressaltou, também, que a Caravana Embrapa tem um programa nacional e que o conhecimento tem que chegar ao usuário final. "Para isso os parceiros são essenciais para a difusão das tecnologias. E, em especial, dedicamos um dia da Caravana, em cada cidade de Minas Gerais, para atender estudantes das instituições de ensino que atuam na região", disse.

Nesta segunda fase, a Caravana Embrapa retornou a todos os locais de Minas Gerais que havia visitado na primeira fase, em 2014, com o acréscimo da cidade de Patos de Minas. "Isto permitiu dar uma sequência à transmissão de informações sobre o MIP de forma continuada aos produtores e extensionistas, confirmando o compromisso institucional da Caravana e valorizando as parcerias constituídas desde o início dos trabalhos", pontuou Derli.

A estratégia inclui o treinamento para tomada de decisão no MIP com uma visão integrada da paisagem agrícola da região. "Essa capacitação é voltada aos profissionais que trabalham com assistência técnica em áreas de produção e estes parceiros levam muito a sério o compromisso com o desenvolvimento do agronegócio", disse Sérgio Abud da Silva, coordenador da Caravana Embrapa.

De acordo com Sérgio Abud, é preciso pensar no complexo de pragas do sistema de produção e monitorar constantemente e eficientemente suas formas (ovos, lagartas, adultos), em todas as culturas do sistema, para que a tomada de decisão do controle de pragas seja eficiente. "O MIP é um sistema de manejo que associa o ambiente e a dinâmica populacional da praga. Utiliza todas as técnicas apropriadas, de forma tão compatível quanto possível, que mantenha a população da praga em níveis abaixo daqueles capazes de causar danos econômicos", explicou.

A primeira fase da Caravana Embrapa mostrou, basicamente, a real situação da presença da lagarta Helicoverpa armigera no Brasil, para mitigar os danos causados por esta praga. Já na segunda fase, a Caravana propõe aulas práticas sobre o Manejo Integrado de Pragas em áreas de produção, com visão na paisagem agrícola; reconhecimento das principais pragas e seus agentes de controle biológico e tomada de decisões, conforme princípios do MIP.

Transferência de tecnologias favorece o produtor

Em Uberaba, a Caravana realizou duas capacitações no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - Campus Uberaba (IFTM), onde houve aulas teóricas e práticas em laboratório e em campo. No dia 16, segunda-feira, foram recebidos estudantes indicados pelas instituições de ensino IFTM, Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu) e Universidade de Uberaba (Uniube). Já no dia 17, terça-feira, a Caravana recebeu técnicos multiplicadores.

"Os temas aqui discutidos são muito relevantes. E precisamos dar continuidade às ações de transferência de tecnologia desenvolvidas pelas instituições de pesquisa para os extensionistas e os produtores", pontuou o Gustavo Laterza de Deus, gerente da Empresa de Extensão Rural e Assistência Técnica do Estado de Minas Gerais (Emater), em Uberaba. Gustavo ressaltou que "a atividade pecuária é muito relevante na região de Uberaba, e, agora, a principal demanda é o cultivo de pastagem".

O fitopatologista Daniel Amaral, professor do curso de Agronomia do IFTM, considera que um aspecto positivo da visita da Caravana Embrapa, para os alunos, são as orientações dos pesquisadores em campo. "Essa possibilidade de participar e fazer a aula em campo, com a presença dos pesquisadores, amplia a visão do aluno e permite maior fixação do conteúdo. Além disso, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as pragas e os inimigos naturais em diferentes estágios das culturas e dos insetos. E isso é de grande valia", frisou.

O estudante do 7º período do curso de Agronomia da Fazu, Leonardo de Carvalho Rezende, disse que sempre consulta as pesquisas e os artigos publicados pela Embrapa, para dar mais credibilidade aos seus trabalhos. "Eu e meus colegas sempre fazemos uma avaliação dos experimentos da Embrapa, pela internet. Mas, participar de um treinamento, com a presença dos pesquisadores, é uma oportunidade para adquirir mais conhecimento, conversar com eles e tirar dúvidas. E esta capacitação nos mostra que saber usar o controle biológico de pragas no momento correto é um diferencial no MIP", pontuou.

Em Passos, as aulas teóricas e práticas em campo foram realizadas no campus da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG): dia 19, quinta-feira, para técnicos multiplicadores, e dia 20, sexta-feira, para os estudantes.

O coordenador do curso de Agronomia da UEMG - Campus Passos, Evandro Freire Lemos, considera que o retorno da Caravana Embrapa à cidade gerou uma grande expectativa, tanto para os extensionistas quanto para os estudantes.

"No ano passado, a Caravana veio em função do combate à Helicoverpa armigera. Agora teremos uma visão mais ampla sobre as principais práticas de manejo e controle de pragas. É uma boa oportunidade de reunião dos pesquisadores com os extensionistas e com os estudantes", enfatizou Lemos. Participaram do evento extensionistas de 30 municípios, representantes de revendas de insumos e estudantes do curso de Agronomia.

O gerente regional da Emater - Passos, Frederico Ozanam de Souza, ressaltou que a integração da pesquisa e da extensão rural é essencial para que o produtor tenha acesso às melhores técnicas de manejo. "Da mesma forma, o produtor precisa ser bem orientado para conduzir o manejo integrado de pragas de forma harmônica e racional, para minimizar os custos de produção e manter uma boa produtividade da lavoura", disse.

Na região de Passos, as culturas que mais se destacam são a soja, o milho e o sorgo. O sorgo é utilizado em grão úmido para alimentar o rebanho bovino. De acordo com o coordenador regional da Emater, Kleso Silva Franco Júnior, "o que mais preocupa os produtores são os custos de produção, a comercialização e o clima. E quanto ao controle de pragas, em 2014, na região, houve a incidência da Helicoverpa armigera e de outras lagartas, mas em 2015 está bem mais tranquilo", comentou.

As capacitações da Caravana Embrapa em Uberaba e Passos tiveram a colaboração dos professores das instituições de ensino, das cooperativas e associações de produtores rurais, da Emater, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), do Sindicato Rural de Uberaba (SRU) e do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (Sinrural).

Participaram destas edições da Caravana Embrapa em Minas Gerais: Derli Santana, Ivênio Rubens de Oliveira, Paulo Afonso Viana, Carlos César Gomes e Sandra Maria Brito, da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG); Sérgio Abud da Silva, da Embrapa Cerrados (Brasília-DF); Ana Paula Schneid Afonso da Rosa, da Embrapa Clima Temperado (Pelotas-RS), e Marcos Rafael Gusmão, da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos-SP).

Em Minas Gerais, a Caravana Embrapa já visitou, também, os municípios de Unaí e Patos de Minas, de 26 a 30 de outubro deste ano.

Texto: Sandra Brito (MG 06230 JP)
Jornalista / Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)
Tel.: (31) 3027-1223
E-mail: milho-e-sorgo.imprensa@embrapa.br

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisora do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Mônica Castro

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo, Fredson Chaves, Sinval Lopes

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Mônica Aparecida Nazareno (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa