topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
   Ano 12 - Edição 100 - Julho de 2018
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Mais um vírus causador de mosaico em sorgo é identificado no Brasil

Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (MG) identificaram, pela primeira vez no Brasil, a ocorrência da espécie Johnsongrass mosaic virus (JGMV) infectando, naturalmente, lavouras de sorgo [Sorghum bicolor (L.) Moench]. Os estudos encontraram também, entre os diversos genótipos testados, uma linhagem de sorgo resistente ao mosaico comum causado por essa espécie de potyvírus. Em condições ambientais que favoreçam o seu aparecimento, a doença pode provocar perdas consideráveis na produção, de acordo com os pesquisadores.

O JGMV é o segundo vírus causador desse mal no sorgo identificado no Brasil. "Anteriormente, apenas o Sugarcane mosaic virus (SCMV) havia sido encontrado causando mosaico nessa espécie no País", informa a pesquisadora da Embrapa Isabel Regina Prazeres de Souza.

Os resultados, publicados no International Journal of Current Research, foram obtidos após análises moleculares realizadas com amostras de tecido foliar, coletadas das plantas que apresentavam sintomas de mosaico. As coletas foram realizadas nas principais regiões produtoras de Minas Gerais nas safras 2014/2015 e 2015/2016.

"Pela primeira vez, identificamos a ocorrência do vírus JGMV infectando, em campo, sorgo granífero e sorgo silageiro no Brasil", destaca Isabel Souza. As amostras infectadas foram coletadas nos municípios mineiros de Paracatu, na mesorregião Noroeste do estado, e Felixlândia, localizado na mesorregião Central de Minas Gerais (figura 1).

Figura 1. Folha de sorgo expressando sintoma de mosaico devido à infecção por JGMV

(Figura 1. Folha de sorgo expressando sintoma de mosaico devido à infecção por JGMV)

Sorgo é o quinto cereal mais cultivado no mundo


O sorgo é um cereal cultivado em várias regiões tropicais e subtropicais do mundo. É considerado o quinto cereal do planeta em produção e em área cultivada, após trigo, arroz, milho e cevada. Segundo o pesquisador da Embrapa José Avelino Santos Rodrigues, compara a outros cereais, essa cultura chama a atenção dos produtores por possuir características adaptativas superiores para cultivo em áreas sob estresse hídrico. "Isso justifica o cultivo do sorgo em milhões de hectares, em países da África, Ásia, Oceania e das Américas", explica.

Entre as viroses que afetam o sorgo, destaca-se o mosaico-comum, causado por potyvírus, que provoca redução na produção de grãos e forragem. Os sintomas da planta infectada podem ser expressos como mosaico típico ou necrose foliar, dependendo da cultivar atacada. No primeiro, as folhas têm áreas cloróticas entremeadas com áreas verdes (figura 2) e, no segundo, áreas necrosadas de cor avermelhada ou amarelada (figura 3).

Figura 2. Planta de sorgo expressando sintoma de mosaico típico nas folhas

(Figura 2. Planta de sorgo expressando sintoma de mosaico típico nas folhas)


Figura 3. Folha de sorgo expressando sintoma necrótico nas folhas

(Figura 3. Folha de sorgo expressando sintoma necrótico nas folhas)

 

Seis espécies de vírus causadores


Em todo o mundo, seis espécies de potyvírus têm sido relatadas causando mosaico-comum em milho ou em sorgo: Sugarcane mosaic virus (SCMV), Sorghum mosaic virus (SrMV), Maize dwarf mosaic virus (MDMV), Johnsongrass mosaic virus (JGMV), Zea mosaic virus (ZeMV) e Pennisetum mosaic virus (PenMV).

"No Brasil, o mosaico-comum no sorgo tinha como agente causal a espécie SCMV, previamente identificada em 2012, e cuja estirpe, até hoje, se diferencia das relatadas para essa espécie em outras partes do mundo. Entretanto, a partir de agora, no País, são duas as espécies de potyvírus capazes de infectar e causar mosaico-comum em sorgo: SCMV e JGMV", ressalta a pesquisadora Isabel Souza.

Transmissão pelo pulgão


Em sorgo, o vírus é transmitido pelo pulgão-do-milho (Rhopalosiphum maidis) e também pelo pulgão-verde (Schizaphis graminum), considerado praga-chave dessa cultura. O pulgão-do-milho é o vetor mais eficiente na transmissão, e, no Brasil, é encontrado principalmente em regiões onde o sorgo e o milho são cultivados na segunda safra.

Segundo os pesquisadores, a sucessão de gramíneas, milho e sorgo e o aumento dos vetores na segunda safra são fatores que contribuem para o crescimento da incidência da doença do mosaico-comum em ambas as culturas. Além disso, há evidências da presença de outras espécies de potyvírus cuja identificação ainda é necessária.

Linhagem de sorgo resistente ao JGMV


Entre os genótipos de sorgo avaliados quanto à resistência aos isolados de JGMV, infectando o sorgo no Brasil, apenas uma linhagem, QL3, apresentou resistência ao vírus. Além disso, as espécies Euchlaena mexicana (teosinto) e Sorghum verticilliflorum (sorgo nativo) foram infectadas e apresentaram sintomas de mosaico, sendo esta última considerada planta daninha em diversas culturas no mundo.

Os genótipos de milho, de cana-de-açúcar e de braquiária avaliados na pesquisa não foram infectados. "Isso demonstra a necessidade de se fazer uma avaliação mais ampla empregando maior número de genótipos dessas espécies", considerou Isabel Souza.

"A linhagem de sorgo QL3 representa uma importante fonte de resistência ao JGMV para ser empregada em programas de melhoramento, visando o desenvolvimento de cultivares resistentes ao mosaico causado por essa espécie", diz a cientista.

A pesquisa foi realizada com suporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e da Embrapa.

 

Texto: Sandra Brito (MG 06230 JP)
Jornalista / Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)
milho-e-sorgo.imprensa@embrapa.br
Telefone: (31) 3027-1223

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): Aurélio Martins Favarin

Jornalistas responsáveis: Guilherme Viana (MG 06566 JP), José Heitor Vasconcellos (RJ 12914 JP), Marina Torres (MG 08577 JP) e Sandra Brito (MG 06230 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição:  Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO) da Embrapa Milho e Sorgo

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Derli Prudente Santana (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Administração)

 
logo da Embrapa