topo
Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)   |
    Ano 06 - Edição 38 - Agosto de 2012
   Ano 13 - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2019 
   Ano 13 - Edição 111 - Agosto de 2019 
   Ano 13 - Edição 110 - Julho de 2019 
   Ano 13 - Edição 109 - Junho de 2019 
   Ano 13 - Edição 108 - Maio de 2019 
   Ano 13 - Edição 107 - Abril de 2019 
   Ano 13 - Edição 106 - Março de 2019 
   Ano 13 - Edição 105 - Janeiro/Fevereiro de 2019 
   Ano 12 - Edição 104 - Nov. e Dezembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 103 - Outubro de 2018 
   Ano 12 - Edição 102 - Setembro de 2018 
   Ano 12 - Edição 101 - Agosto de 2018 
 
 
seta
  NOTÍCIAS logo Embrapa
  imagem da notícia  
Próxima safra de milho: escolher bem a semente é fundamental

O produtor brasileiro de milho, que trata sua atividade de maneira cada vez mais profissional, já começa a definir a safra 2012/2013. E um dos pontos essenciais para o sucesso da lavoura é a escolha correta da cultivar a ser plantada. São centenas de opções, cada uma adaptada para determinadas condições regionais, sobretudo de solo e clima.


A Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) acompanha, a cada ano, o número de cultivares disponíveis para a safra seguinte. Para 2012/2013, estão disponíveis 479 cultivares de milho. Dessas, 263 (55% do total) são convencionais e 216 transgênicas (os 45% restantes). Os números são de estudo dos pesquisadores José Carlos Cruz e Israel Alexandre Pereira Filho e do bolsista Luciano Rodrigues Queiroz, todos da Embrapa Milho e Sorgo.


A renovação, característica do mercado de milho, manteve-se, com 93 novas cultivares entrando e 103 deixando de ser comercializadas. Das novidades, 87 são cultivares transgênicas e as seis restantes são convencionais. Das que saíram do mercado, 42 são transgênicas e 61 são cultivares convencionais. Percebe-se nitidamente que, a cada nova safra, cresce a quantidade de opções de milho transgênico para o produtor rural.


Para o pesquisador José Carlos Cruz, a tecnologia dos transgênicos tende a ser cada vez mais adotada no Brasil. Ele explica que as pragas, sobretudo as lagartas, causavam prejuízos muito grandes, levando a situações em que eram necessárias até dez aplicações de inseticidas por safra. “Isso representava maior custo de produção, menores produtividades devido ao prejuízo causado pelas lagartas, além dos efeitos danosos causados no aplicador e no meio ambiente”, conta, acrescentando a facilidade, para o produtor, de precisar fazer menos pulverizações.


Doenças e tipos de cultivares – Em relação a doenças, o pesquisador acredita que não têm ocorrido novas. Ele explica que os programas de melhoramento genético procuram lançar novas cultivares tolerantes a algumas delas, mas ressalta que não existem opções de cultivares que sejam tolerantes a todas as doenças. José Carlos afirma que o manejo de doenças em milho é, ao mesmo tempo, “a tecnologia mais recente e a menos conhecida no sistema de produção, com resultados muitas vezes conflitantes e que precisam ser melhor conhecidos”.

Outra informação relevante, obtida no estudo da Embrapa, é em relação ao tipo das cultivares. Para a safra que se aproxima, em números arredondados, 61% das cultivares são híbridos simples, categoria geneticamente com maior potencial produtivo. Os híbridos triplos, que vêm logo em seguida em relação a potencial produtivo, somam 21,5%. Já os híbridos duplos são 10% e as variedades chegam a 7%.

Ou seja, mais de 82% das cultivares disponíveis no mercado brasileiro de sementes de milho estão num nível tecnológico de produtividade considerado alto e cujas sementes são mais caras. No caso específico dos transgênicos, as cultivares ou são híbridos simples (78% do total) ou triplos (22%). Ambos os percentuais, portanto, acima da média quando se consideram as cultivares como um todo.

José Carlos Cruz ressalta que, pelo fato de os eventos transgênicos estarem disponíveis apenas em híbridos simples e triplos, a tecnologia tem sido pouco usada pelos produtores menos capitalizados. O pesquisador aposta numa alternativa: “é possível que se desenvolva um nicho de mercado para a produção de milho livre (sem transgênico), como querem fazer para a soja. Na minha opinião, se houver uma vantagem financeira e consumidores com interesse para este produto, isso será possível”.

Hoje, o produtor tem mais condição de escolher uma semente de milho específica e que atenda a suas necessidades, acredita o pesquisador, que faz uma ressalva: “percebo que ainda há dificuldades em ajustar a escolha da cultivar e o sistema de produção utilizado”. O produtor pode contar com o auxílio da assistência técnica na hora de escolher a cultivar mais adequada à sua realidade. “Aliás, recomenda-se que, sempre que possível, ele use mais de uma cultivar, de forma a facilitar sua escolha e a aumentar sua segurança”, aponta José Carlos.

 

Texto: Clenio Araujo (MTb / MG 06279 JP)
Jornalista / Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG)
www.cnpms.embrapa.br
NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)
Tel.: (31) 3027-1223
Cel.: (31) 9974-3282
E-mail: clenio@cnpms.embrapa.br

  COMENTÁRIOS  
 
Nome Completo
E-mail
Comentário
OBS.: Os comentários são previamente analisados antes de sua publicação.
 
 
 
 
Carlos Jos? Biondo | 06/08/2012 - 17:33
Muito bom este resumo do mercado de sementes de milho. Simples e objetivo.
Parabéns.
Clenio Araujo | 07/08/2012 - 10:34
Obrigado pelo comentário, Carlos

A ideia é essa mesmo: simplificar a informação técnica.

Atenciosamente

Clenio Araujo / jornalista da Embrapa Milho e Sorgo
elder jose bonetti | 27/08/2012 - 16:44
Srs
gentileza informar email e nome do responsável em informar tecnologia para plantio de milho grão para região de Goianésia do Pará-Pa.

Grato

Elder
Clenio Araujo | 10/09/2012 - 15:49
Boa tarde, Elder

Entre em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Cidadão) da unidade da Embrapa no Pará, a Embrapa Amazônia Oriental. Pode ser que eles tenham um contato mais próximo.

O endereço é http://www.cpatu.embrapa.br/contact-info.

Obrigado pela participação

Clenio Araujo / jornalista da Embrapa Milho e Sorgo
Rogério de Pieri | 23/11/2012 - 22:43
tem como receber informativo via cartilha, as variedade de milho da safra 2012/2013 endereço:av.raquel abud,500 st são joão batista-bom jardim de goias GO.
Clenio Araujo | 04/12/2012 - 08:24
Prezado Rogério

Encaminhei seu comentário aos pesquisadores citados na matéria.

Obrigado pelo contato
  ESPAÇO DO LEITOR
 
imagem de envelope

Entre em contato com a equipe que produz o jornal eletrônico Grão em Grão. Sugira reportagens, temas para serem abordados nos artigos, eventos, enfim, emita seu ponto de vista sobre o jornal. Você tem duas maneiras de interagir conosco:

por e-mail: cnpms.nco@embrapa.br ou
por telefone: (31) 3027-1272

  CADASTRO
 

Para se cadastrar e receber nosso informativo via e-mail, clique aqui.

Acesse também o nosso jornal no endereço http://grao.cnpms.embrapa.br

Caso queira, a qualquer momento, cancelar o recebimento do informativo, clique aqui ou envie uma mensagem para cnpms.nco@embrapa.br solicitando a retirada de seu nome da lista de leitores.

  EXPEDIENTE
 

O jornal eletrônico Grão em Grão faz parte do Programa de Comunicação Organizacional da Embrapa Milho e Sorgo.

Supervisor do NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional): José Heitor Vasconcellos

Jornalistas responsáveis: Clenio Araujo (MG 6279 JP), Guilherme Viana (MG 06566 JP) e Marina Torres (MG 08577 JP)

Desenvolvedor: Luiz Fernando Severnini

Programador Visual: Alexandre Esteves Neves

Edição: NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional)

Revisão: Antonio Claudio da Silva Barros

Fotos desta edição: Arquivo NCO (Núcleo de Comunicação Organizacional) da Embrapa Milho e Sorgo, Simone Martins Mendes, Google Earth e ResourceSat

Chefia da Embrapa Milho e Sorgo: Antônio Álvaro Corsetti Purcino (chefe-geral), Sidney Netto Parentoni (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Jason de Oliveira Duarte (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Maria José Vilaça de Vasconcelos (chefe-adjunta de Administração)

 
logo da Embrapa